O BEM VIRÁ

  • Gênero: Documentário
  • Ano: 2020
  • Duração: 80'
  • Bitola final: Digital
  • Cor: Colorido
  • Sinopse: Treze mulheres, treze ventres, treze esperanças, uma foto. E uma busca pelas mulheres que, em 1983, em uma seca no sertão do Pajeú pernambucano, lutaram pelo direito à sobrevivência, num contexto em que ser mulher era se limitar à função de administrar a miséria.
  • Roteirista: Uilma Queiroz
  • Pesquisador: Silmara Marques, Rogério Oliveira e Pedro Maia. consultoria de pesquisa - Lívia de Melo
  • Outros roteristas: consultoria de roteiro - Marcelo Pedroso, Odília Nunes, Kika Latache, Lívia de Melo e Amandine Goisbault
  • Direção: Uilma Queiroz
  • Assistência de direção: José Alberto Junior
  • Produtor: Kika Latache e Livia de Melo.
  • Empresa produtora: Vilarejo Filmes
  • Produtor executivo: Kika Latache e Lívia de Melo.
  • Diretor de produção: Kika Latache
  • Assistente de produção: Lellis Vasconcelos, William Tenório
  • Outros - Produção: assistencia de produção executivo - Eduardo Lunel
  • Direção de fotografia: Maíra Iabrudi
  • Assistente de fotografia: Duda Medeiros, Angelo Azuos, Cláudio Gomes
  • Técnico de som direto: Sálua de Paula e Nicolau Domingues.
  • Editor de som: Kiko Santana
  • Mixagem: Gera Vieira
  • Outros - som: assistentes - Bruna Tavares, Richard Soares e Daniel Jack, Gravação de locução - Vinicius Aquino, estúdio - Carranca
  • Técnico efeitos especiais: correção de cor - Tiago Campos,
  • Designer: creditos - Amandine Goisbault, arte grafica - Thais Faria, cartaz de busca - Ângelo Azuos
  • Montador: Amandine Goisbault e Rapha Spencer
  • Elenco entrevistados: Evanir Araujo Ribeiro, Josefa Mendes da Silva Domingos (Ziza), Lourdes Luna de Araújo (Lourdinha), Luciene Mendes do Nascimento, Maria Aparecida Bezerra (Cidinha), Maria Aparecida da Silva (Maria Aparecida), Maria Do Carmo Alves da Silva, Maria do Socorro Beserra dos Santos, Maria do Socorro do Nascimento (in memorian), Maria Feitosa de Oliveira, Quitéria da Silva Melo, Rosilda Soares da Silva (Zilda) e Zita Maria da Conceição
  • Curiosidades: Primeiro longa-metragem da diretora e roteirista Uilma Queiroz, e também o primeiro longa dirigido por uma mulher sertaneja. O documentário “O Bem Virá” surge do encontro da diretora e roteirista sertaneja Uilma Queiroz com uma fotografia, datada de 1983, que revela mulheres grávidas enfileiradas contra um fundo agreste em uma frente de emergência na zona rural de Afogados da Ingazeira, Pernambuco. A busca pelas histórias dessas mulheres diverge do imaginário da seca retratado frequentemente, pautado na miséria, na preguiça, nos flagelos e nas retiradas. Contrariando uma estrutura agrária perversa associada à seca, o longa anuncia conquistas dessas mulheres como acesso ao trabalho produtivo, à educação e à participação política. O documentário desnaturaliza essa narrativa de fragilidade, ao exibir um sertão verde onde as múltiplas lutas dessas mulheres por existirem, imprimem discursos e imagens que não se limitam a resistência, são sobretudo emergências de dignidade. As treze mulheres abrem não só sua casa para uma entrevista. Abrem também seu coração para cada pergunta feita, respondendo não só com palavras, já que o silêncio, o riso, o choro também diz quem elas são e quem nós, enquanto mulheres em nossas diversidades, somos. Atrás e em frente à câmera, mulheres. Entrevistas espelhos de nós. Dessa maneira, “O Bem virá” é mais do que um filme de busca é um filme de conversa. Conversa entre mulheres. Como as conversas que as atrizes sociais tinham em 1983: sob sol escaldante, entre a lida no trabalho das frentes de emergência, falamos de fome, de dores, de violência doméstica, de amores, de maternidade, de luta, de vitórias, mas sobretudo da coragem que nós mulheres temos de viver na luta pelo Bem que virá.

© 2021 Cinema Pernambucano. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Dev3code